Por que o Consultor Interno em RH?

A figura de Consultor Interno em RH, ou “Business Partners”, como também é conhecida, surgiu há mais de 30 anos como uma resposta à necessidade de maior aproximação de RH com seus “clientes internos”, o verdadeiro alvo de resultados, que é formada pelos gestores e sua estrutura funcional, ou seja: as “pessoas”.

Percebia-se que o tratamento “padronizado” para todas as áreas da empresa não produzia resultados adequados para todos. Isso reforça o fato de que cada departamento mantém uma característica própria, com necessidades específicas e o seu perfil de colaboradores. São, normalmente, características particulares!

Principalmente hoje, com a crescente utilização da tecnologia no suporte às atividades organizacionais, torna-se estratégica e diferencial a presença de um profissional que aproxima a gestão da operação para atendimento da necessidade específica de cada área de atuação.

Essa é a função do Consultor Interno (Business Partners) em RH.

Realiza a interface das políticas e estratégias de Recursos Humanos para a Organização procurando sempre a melhor compreensão e aplicação nas estratégias de negócios e agindo como facilitador dessas práticas nas áreas cliente.

O profissional indicado para atuar como Consultor Interno poderá se dedicar a uma ou mais áreas da estrutura da Organização. Para isso dependerá o tamanho e complexidade da estrutura e a experiência e conhecimento do profissional indicado.

Sua atuação, no entanto, também dependerá de uma fase de adaptação á área cliente. Será determinante um “ESTÁGIO” na área de atuação, compreendendo: conhecimento do processo macro da área / vocabulário e premissas clássicas da atividade / estrutura de cargos e responsabilidade / perfil dos colaboradores / desafios de mercado e relações e interdependências com outras áreas da empresa. Esse conhecimento deverá ser adquirido no contato com o gestor, supervisores e funcionários.

A presença constante na área de cobertura é fundamental, para ser visto como “alguém de casa”, mesmo que grande parte de sua atuação possa se fazer de modo remoto.

É quase alguém da própria estrutura, sem deixar de tornar claro, sempre, o seu papel de representante das políticas e estratégias do RH corporativo e da Estratégia Organizacional. Dessa forma o Consultor Interno também se torna uma “ponte” entre a estratégia global, as necessidades da área de atuação e fonte de informação e de adaptações do enfoque da estratégia para a área específica. É uma rua de duas mãos, assim como um “tradutor” das necessidades.

Outro ponto importante na atuação do profissional se refere à relação com a nova tecnologia e sua melhor análise para o desenvolvimento das “soft skills” dos profissionais da área (um importante objetivo do Consultor Interno). Conhecer, pelo menos em sua essência, essas novas tecnologias, poderá auxiliar a encontrar alternativas para o desenvolvimento de relacionamentos mais eficazes e produtivos. Salientamos que algumas tecnologias (IA / chatbot / home office / etc) precisam ser bem trabalhadas para não dificultar questões de relacionamento entre as pessoas, colaboração e fatores de reconhecimento, tão importantes neste momento atual.

Evidentemente espera-se que o Consultor Interno transite com facilidade nas atividades e operações da área de  Recursos Humanos. No entanto poderá, sempre, solicitar a contribuição das áreas especialistas de RH, quando necessários. Em suma, ter visão abrangente não significa, necessariamente, visão vertical em tudo.

E um aspecto determinante da atuação refere-se ao perfil  atitudinal do Consultor Interno: Perfil técnico X perfil pessoal: Sem dúvida o conhecimento técnico é de grande apoio na ação, mas não suplanta características importantes do perfil pessoal do profissional no BP. As soft skills são, sem dúvida, o grande destaque da melhor atuação desse profissional e precisarão ser constantemente, desenvolvidas.

Segue uma listagem de algumas habilidades para cuidados:

  • Empatia e escuta ativa são, sem dúvida, um dos fatores chave da atuação. Facilitar o contato / permitir a expressão para melhor compreensão das necessidades.
  • Comunicação e feedback são fatores complementares. Afinal essas são as ferramentas de trabalho do Consultor Interno.
  • Confiança / discrição / confidencialidade. Sem isso não há possibilidade de bons resultados na atuação.
  • Humildade para entender que não terá mais conhecimento das necessidades da área do que os próprios ocupantes e de que precisará adaptar as soluções às pessoas daquela área. E controle das necessidades de ego, monitorando o seu reconhecimento pelas contribuições. Algo como “resistência à frustração”. Essa é uma atitude difícil, reconhecemos. Por exemplo:

– Costumo afirmar que ele não poderá ser, JAMAIS, o “pai” de nenhuma ideia. Quando muito ele pode ser o “tio”, que é convidado para a festa.

– Também não poderá intervir e buscar solução em conflitos pessoais da estrutura da área. Essa é uma responsabilidade específica do gestor. Sem duvida poderá assumir um papel de análise e monitoria com a gestão, mas a ação, nesses casos, é sempre do gestor.

– Apesar da proximidade com a política de RH da Organização, ele é subalterno dessas políticas e tradutor ideal para as estruturas sob sua responsabilidade.

– Da mesma maneira ele exerce uma função de orientação à gestão da área, mas não poderá ser responsável por eventuais desvios de atitude. Cabe-lhe a função de orientação, mas, às vezes, deixar errar é a melhor maneira de fazer aprender.

Perfil exigente, mas de resultados efetivos para a Organização e para o profissional que se dispõe a enfrentar esse desafio.

Similar Articles

Porque feedback é preser... PORQUE FEEDBACK É FATOR DE SAÚDE MENTAL Do estigma da crítica a protetor da saúde mental Interessante comentar, rapidamente, como surgiu esse tema. Como muitas outras coisas
Eficiência X Eficácia 1) EFICIÊNCIA é: fazer certo; o meio para se atingir um resultado; é a atividade, ou, aquilo que se faz. 2) EFICÁCIA é: a coisa certa; o
E Vc, o que pensa? Nova série de vídeos (10 a 15 m) sobre temas em Gestão de Pessoas com abordagem que levanta questões e reflexões.
Breve reflexão sobre o p... Capítulo do livro "Será que minha empresa é assim"? Lançado em ebook e com lançamento presencial para o 3o. trimestre de 202
Feedback na era digital A IMAGEM É A MENSAGEM Sem dúvida não podemos continuar fazendo a nossa comunicação e oferecendo feedback da forma como fazíamos.Tudo evolui, principalmente quando somos influenciados por
Apresentação: Implantan... Apresentação no CBTD 22
PRÉ LANÇAMENTO DO NOVO ... SERÁ QUE A MINHA EMPRESA É ASSIM? Esse é um livro que trata do comportamento humano. Sem dúvida procura dar foco nos aspectos do Comportamento Organizacional, mas
Treinamento on-line ̵... Treinamento on-line em 3 módulos (dias 23, 26 e 30 de novembro / horário de 9h ás 11:40min)
Depoimentos do treinament... Depoimentos referente avaliação do treinamento de Avaliação de Desempenho e práticas de Feedback realizada pelo Idepro nas dependências da ABTD
De perto ninguém é norm... Texto referente ao 43o. Capítulo do novo Livro do Prof. Bernardo Leite: Será que minha Empresa é assim? Está na editora para lançamento em breve.
Criando Cultura de Feedba... A Cultura de Feedback pode ser considerada uma revolução nas relações internas e na dinãmica de desenvolvimento profissional nas Organizações
Relacionamento > Diferenc... Relacionamento > Diferencial para o amanhã (Estamos iniciando a Era do Reconhecimento) Presumo não haver dúvida sobre o fato de que o relacionamento sempre foi um fator
O novo enfoque da Avalia... O novo enfoque da Avaliação de Desempenho As grandes mudanças no ambiente empresarial e a necessidade de maior aproximação com os objetivos organizacionais alteram substancialmente, os procedimentos
Depoimentos sobre o curso... Obs. Omitimos os nomes dos depoentes por não termos solicitado a autorização para divulgação via site. ” O treinamento foi uma rica troca de experiências e um
Você está confortável?... Tudo bem, impossível negar que estar confortável é objetivo de todos, mas que é um grande risco não tenham dúvida! Um dos exemplos que utilizo para demonstrar
Velejando em Busca de Com... Sucesso no Treinamento ABTD OPEN será repetido. Acontecerá nos dias 23, 24, 25 e 26 de março o Treinamento Velejando em Busca de Competências. Você que é
Avaliação de Desempenho... Invista no aperfeiçoamento de seus gestores com a expertise de Bernardo Leite em Avaliação de Desempenho. Aproveite as exigências legais da sua Avaliação de Desempenho e entregue,
Curso Comunicação e Fee... Em parceria com a CINRH – Bernardo Leite realiza em Aracaju no dia 09.06 workshop “Feedback e Comunicação – Ferramentas Essenciais da Liderança”.   Programação OBJETIVO: Possibilitar o
Curso Implantação de Av... Aconteceu em 13/02/2014 mais uma turma do curso Confira alguns depoimentos. O treinamento foi totalmente proveitoso o instrutor Bernardo leite tem muita vivência no assunto e sua abordagem