A importância do trabalho em Equipe

A discussão mais organizada sobre este tema remonta ao início do aprofundamento sobre a Qualidade Total. Nesta época o trabalho em equipe era o “segredo” do próprio resultado do processo, cantado em verso e prosa.

A compreensão inicial entendia que bastava juntar algumas pessoas e solicitar-lhes que chegassem ao resultado.

Sugeria-lhes autonomia e responsabilidades. Definia-se metas e prazos. Cediam-lhes locais e horários. Deu-se, até, importância!

Mas, mesmo nos trilhos da Qualidade Total, os resultados foram pífios.

Desencantou os crédulos e incentivou os céticos.

Surgiram convicções como: “trabalhar em equipe reduz o rítmo das soluções”; “o grupo inibe as melhores propostas”; “em equipe alguns carregam o piano e os outros observam” , entre outras considerações.

Mas, foi notório, faltava prática e melhor análise. Mas, em suma, por falta de melhores resultados o trabalho em equipe foi um pouco desacreditado.

Sem dúvida algumas propostas desenvolvem-se de maneira não linear. Muitas vezes uma boa idéia perece por falta de amadurecimento e melhor compreensão do contexto global. É como se surgissem um pouco antes do tempo. No Marketing isso é comum, o mercado deve amadurecer.

Porém parece que o princípio tinha mais fundamento do que parecia a princípio porque novas necessidades do trabalho em equipe voltaram á discussão.

Novas técnicas, fundamentadas na administração mais participativa, solicitavam maior envolvimento e funcionamento em equipe.

O resgate da visão de processo (na minha visão uma das maiores contribuições à administração em geral), a necessidade de ganhos de tempo e produtividade com as células de produção e as equipes de engenharia simultânea, começaram a impulsionar o aprofundamento da compreensão sobre o trabalho em equipe, muitas vezes por meio da tentativa e erro, mas aprendeu-se mais.

Também não foi um esforço de resultado imediato mas, tinha objetivo mais definido. Não era, apenas, a equipe para o resultado mas, principalmente, a equipe como forma para o resultado. É princípio de gestão, não somente técnica!

E o processo começou a amadurecer, junto com as pessoas.

Vamos fazer uma comparação: – Você já cantou em coral? Um grupo coral tem que ter harmonia. É básico. Lógico que há os cantores solos, que no seu momento, por razões da sua habilidade, destacam-se da equipe de cantores mas, em seguida ao solo retornam à harmonia necessária ao conjunto para o melhor resultado e sob o comando de um maestro. Os cantores solos não podem destacar-se quando o solicitado é a harmonia de vozes. Destoaria o conjunto e prejudicaria o resultado geral. Todos têm sua contribuição. Você já ouviu a contribuição importante dos cantores que fazem a segunda voz? Pois é!

Este é um ponto importante no trabalho em equipe. Lógico que em uma equipe as pessoas não são iguais. Até porque uma das contribuições fundamentais das equipes é a sua riqueza de diferenças. Temos que ter opiniões diferentes, baseadas nas diferentes experiências, formações e pontos de vista. É a contribuição da diversidade, “pedra de toque” do melhor resultado. Uma equipe também existe para contestar posições estabelecidas. Nelson Rodrigues já dizia “a unanimidade é burra”!

E hoje, uma exigência tem contribuído significativamente para fortalecer a necessidade do trabalho em equipe. Refiro-me à exigência atual de conhecimentos das mais diferentes especialidades que a nova tecnologia tem solicitado. Ninguém poderia acumular, sozinho, todas as áreas de conhecimento necessários para o melhor atendimento das nossas necessidades atuais. Dependemos de uma equipe como nunca jamais aconteceu.

Portanto, vamos aprender!

Similar Articles

PRÉ LANÇAMENTO DO NOVO ... SERÁ QUE A MINHA EMPRESA É ASSIM? Esse é um livro que trata do comportamento humano. Sem dúvida procura dar foco nos aspectos do Comportamento Organizacional, mas
Treinamento on-line ̵... Treinamento on-line em 3 módulos (dias 23, 26 e 30 de novembro / horário de 9h ás 11:40min)
Depoimentos do treinament... Depoimentos referente avaliação do treinamento de Avaliação de Desempenho e práticas de Feedback realizada pelo Idepro nas dependências da ABTD
De perto ninguém é norm... Texto referente ao 43o. Capítulo do novo Livro do Prof. Bernardo Leite: Será que minha Empresa é assim? Está na editora para lançamento em breve.
Criando Cultura de Feedba... A Cultura de Feedback pode ser considerada uma revolução nas relações internas e na dinãmica de desenvolvimento profissional nas Organizações
Relacionamento > Diferenc... Relacionamento > Diferencial para o amanhã (Estamos iniciando a Era do Reconhecimento) Presumo não haver dúvida sobre o fato de que o relacionamento sempre foi um fator
O novo enfoque da Avalia... O novo enfoque da Avaliação de Desempenho As grandes mudanças no ambiente empresarial e a necessidade de maior aproximação com os objetivos organizacionais alteram substancialmente, os procedimentos
Você está confortável?... Tudo bem, impossível negar que estar confortável é objetivo de todos, mas que é um grande risco não tenham dúvida! Um dos exemplos que utilizo para demonstrar
PROGRAMA DE EXCELÊNCIA E... Lançadas duas turmas do PROGRAMA DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO. Veja programação e datas:
Programa Clientes e Forne...
Relacionamento e Gestão ... Palestra realizada pelo Prof. Bernardo Leite, no dia 09 de abril no Espaço Business, na Paulista, reuniu mais de 100 profissionais da área de Gestão de Pessoas
Curso Feedback na Prátic... Feedback na prática na medida da necessidade de sua equipe.
O novo Líder O “novo” Líder O título não se refere á técnicas propriamente ditas, mas a postura do líder frente ás novas necessidades. E quais são as novas necessidades?

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *