A relação (e as diferenças) entre a avaliação de performance e o coaching

A atuação em Coaching não objetiva proceder a uma avaliação do desempenho do “cliente” no processo. O Coach (denominação dada ao profissional que executa o Coaching) pode utilizar-se dos dados da avaliação, eventualmente realizada, para fundamentar e localizar a sua orientação e o acompanhamento da atuação do seu “cliente” no sentido de sanar suas dificuldades de melhoria de performance, em todos os sentidos.
Esta é uma diferença importante entre essas duas intervenções organizacionais.
A relação de proximidade entre as duas atuações refere-se a complementariedade dos processos. Na realidade posso até afirmar que essa complementação, nos dias de hoje, torna-se extremamente oportuna.
O processo de desenvolvimento profissional nas organizações carece de maior aprofundamento e metodologias mais sistemáticas que garantam resultados concretos e mensuráveis.
Costumo dizer que a Avaliação de Performance começa quando termina. Isso quer dizer que os dados dos resultados da avaliação devem servir não apenas como elemento de cobrança e acompanhamento, mas, principalmente, como dados de monitoração do processo de desenvolvimento. Esse é o verdadeiro caminho para o alcance de resultados. Os profissionais dos U.S.A. costumam usar uma expressão muito adequada para este fato, eles costumam dizer: “se Você quer alcançar alguma coisa, comece a medir!”.
O Coaching abrange exemplarmente esses fatores, com o diferencial de realizar esse acompanhamento, monitorado e quantificado, por meio de uma ação parceira e reflexiva de forma que o processo de desenvolvimento torna-se consistente e objetivo. Não conheço cursos de desenvolvimento que detenham essa prerrogativa de maneira tão completa. Na verdade qualquer curso também começa quando termina. É a atuação prática que vai determinar e definir o processo de desenvolvimento.
No entanto, não entendo o Coaching sendo realizado com todos os profissionais nas Organizações. É uma atuação focada.
Com essa afirmação quero salientar que a atuação em Coaching destina-se a profissionais em “momentos especiais”. Isto é: profissionais em fase de promoção; em início de novas atividades ou desafios; profissionais com problemas de desempenho e principalmente de relacionamento e, sem dúvida, excelente ferramenta para a retenção de talentos nas Organizações.
Dessa forma, uma ação objetiva e de resultados do Coaching, nas Organizações, deverá conter as seguintes fases:
-A determinação de uma sistemática de Avaliação de Performance, mesmo que sem características metodológicas muito definidas.
Imagino, por exemplo, uma sistemática de Plano de Metas que possibilite objetividade para a avaliação dirigida ao negócio. Outra alternativa, que adoto com freqüência, é a avaliação através dos clientes internos. Esta tem sido uma alternativa muito efetiva e objetiva.
-Definição de critérios para a identificação dos profissionais-chave, baseado nas necessidades estratégicas do negócio.
-Escolha e preparação dos profissionais internos, na Organização, que serão responsáveis pela função Coach.
-A manutenção de um profissional externo que, pelo menos no início do processo, forneça supervisão para a preparação e desenvolvimento desses profissionais de Coach internos.
-Um processo sistemático de acompanhamento das ações de desenvolvimento, de maneira a permitir um monitoramento próximo dos resultados.
-Confidencialidade, ética e transparência nos procedimentos.
Em suma, o Coaching surge para garantir uma continuidade no processo de desenvolvimento, fortalecimento dos nossos elementos potenciais (high potentials) e de fixação e melhor aproveitamento dos nossos recursos mais importantes para a manutenção do nível de competitividade das nossas empresas.
A mudança contínua exige educação continuada, não eventual, com foco nos negócios.

Similar Articles

PRÉ LANÇAMENTO DO NOVO ... SERÁ QUE A MINHA EMPRESA É ASSIM? Esse é um livro que trata do comportamento humano. Sem dúvida procura dar foco nos aspectos do Comportamento Organizacional, mas
Treinamento on-line ̵... Treinamento on-line em 3 módulos (dias 23, 26 e 30 de novembro / horário de 9h ás 11:40min)
Depoimentos do treinament... Depoimentos referente avaliação do treinamento de Avaliação de Desempenho e práticas de Feedback realizada pelo Idepro nas dependências da ABTD
De perto ninguém é norm... Texto referente ao 43o. Capítulo do novo Livro do Prof. Bernardo Leite: Será que minha Empresa é assim? Está na editora para lançamento em breve.
Criando Cultura de Feedba... A Cultura de Feedback pode ser considerada uma revolução nas relações internas e na dinãmica de desenvolvimento profissional nas Organizações
Relacionamento > Diferenc... Relacionamento > Diferencial para o amanhã (Estamos iniciando a Era do Reconhecimento) Presumo não haver dúvida sobre o fato de que o relacionamento sempre foi um fator
O novo enfoque da Avalia... O novo enfoque da Avaliação de Desempenho As grandes mudanças no ambiente empresarial e a necessidade de maior aproximação com os objetivos organizacionais alteram substancialmente, os procedimentos
Você está confortável?... Tudo bem, impossível negar que estar confortável é objetivo de todos, mas que é um grande risco não tenham dúvida! Um dos exemplos que utilizo para demonstrar
Pesquisa sobre a Prática...   1 – AMOSTRAGEM: Quantidade: 380 profissionais 50% – nível gerencial / diretoria 30% – Supervisores 20% – Técnicos 2 – LOCAL:  Dados levantados por ocasião de cursos
Índice do novo livro: Se... ÍNDICE Apresentação Agradecimentos Cultura Organizacional A importância da Cultura Organizacional A Gestão Organizacional A importância da Gestão Afinal, Cultura é fator estratégico? O Ciclo de Vida das
Relacionamento Interpesso... Como se garantir resultados sustentáveis? É tão surpreendente afirmar que teremos muito mais resultados se o ambiente entre as pessoas for bom! Afinal, precisaríamos afirmar isso? Infelizmente
Velejando em Busca de Com... As próximas turmas do treinameto “Velejando em Busca de Competências” estão abertas. Acontecerá nos dias 06 e 07 de maio. Participe deste treinamento que tem sido um
Precisamos da liderança? Muito se tem falado sobre o novo perfil da chefia e, em alguns casos, chega-se até a contestar a própria necessidade da sua existência. Isto em nome

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *