Porque as empresas querem o perfil empreendedor

Tempos atrás se falava que todo profissional com perfil empreendedor permanecia pouco tempo dentro das empresas.

Hoje as empresas estão buscando desenvolver esse perfil entre seus executivos e recrutando profissionais que o apresentem.

O que provocou essa mudança?

Antigamente, as empresas tinham muita dificuldade em manter profissionais que tivessem muita iniciativa, fossem criativos e pragmáticos porque suas características de gestão e suas estruturas previam uma conduta mais previsível desses profissionais e condicionavam procedimentos mais estáticos nas decisões internas.

Hoje em dia, as forças de mudança, com seu ritmo acelerado, impelem necessidades novas e exigentes que requerem posturas mais ousadas, criativas e, por vezes, corajosas.

Mas o profissional que apresenta um perfil empreendedor não é, em princípio, muito independente e até solitário para trabalhar em empresas? Bem, isso também acontece com várias outras atividades e é muito mais prerrogativa do indivíduo do que da atividade.

A primeira questão que queremos ressaltar é a necessidade de desmistificar o perfil do empreendedor. Afinal é um perfil exigente, mas não é um super-homem! Podemos, por exemplo, destacar alguns adjetivos do perfil como: inovador, criativo, visionário, ousado. Por outro lado outros adjetivos tão ou mais importantes que esses não são tão charmosos, como por exemplo: perseverante, auto-exigente, cuidadoso e disciplinado. Isso quer dizer que não é só talento que está em jogo, mas também a vontade, o objetivo e o desejo de alcançar um resultado.

Pesquisas demonstram que não há diferenças significativas de conhecimento entre os empreendedores que fracassam e os que são bem sucedidos. Mas as pesquisas também demonstram que há características comportamentais específicas entre os empreendedores de sucesso.

Apenas como ilustração vamos discorrer sobre algumas:

– INICIATIVA E VISÃO DE OPORTUNIDADE: “milhões viram a maçã cair, mas só Newton perguntou porque” – Bernard M. Baruch. É a característica que determina o impulso, a vontade, o sonho.

– PERSEVERANÇA E COMPROMETIMENTO: Esta característica praticamente possibilita que todas as outras possam se manifestar. Sem perseverança se desiste na primeira grande dificuldade. Quando perguntado se considerava os mais de mil experimentos realizados para descobrir a lâmpada como sendo o exemplo de mais de mil fracassos, Thomas Edison respondeu: “Não! Apenas descobri mais de mil maneiras de não se fazer uma lâmpada”.

– OUSADIA E RISCOS: Esta característica é quase sinônimo de empreendedorismo, mas, O EMPREENDEDOR NÃO É UM AVENTUREIRO! Sua ousadia e a coragem para riscos estão fundamentadas na sua busca de informações. (É preciso menos tempo para fazer algo da maneira certa do que explicar por que foi feito da maneira errada. – Longfellow”).

– BUSCA DE INFORMAÇÕES: Planejar, calcular riscos, definir metas e oportunidades é conseqüência direta dessa característica. É importante frisar que esta atividade o empreendedor não delega para outros. Ele sabe que as respostas às suas perguntas podem responder a outras perguntas e levar a novas oportunidades. (“Eu avistei mais longe que muitos porque fiquei de pé em ombros de gigantes – Albert Einstein”).

– PERSUASÃO E RELACIONAMENTO: Não há idéia, projeto ou desafio que possa ter sucesso sem o auxílio de outros. Portanto conseguir apoio à iniciativa e o envolvimento do grupo é garantia de resultado. O empreendedor precisa desenvolver sua habilidade de envolvimento e para isso precisará:

1 – ter um objetivo claro;

2 – saber claramente no que o (s) outro (s) pode ajudar;

3 – descobrir o que interessa ao (s) outro (s) e

4 – definir uma relação ganha-ganha.

– DISCIPLINA: Esta característica permite o sucesso. Considero a característica mais importante do perfil. Neste caso estou me referindo a forma como o empreendedor enfrenta suas necessidades e dificuldades.

Ele planeja sua ação e FAZ. Ele não espera ter a vontade ele sabe que é necessário ter ação. A disciplina permite definir metas, prazos, indicadores, e outros condicionantes da ação. EMPREENDEDORES, ACIMA DE TUDO, FAZEM!

Estas são algumas características do perfil que destaco para análise.

Como já disse em outros artigos sobre este tema, não há espaço suficiente para aprofundamento. Mas, em doses homeopáticas pretendemos continuar desenvolvendo este assunto que considero de importância superlativa para as Empresas neste momento.

Similar Articles

O novo enfoque da Avalia... O novo enfoque da Avaliação de Desempenho As grandes mudanças no ambiente empresarial e a necessidade de maior aproximação com os objetivos organizacionais alteram substancialmente, os procedimentos
Revendo o Treinamento Com... Revendo o treinamento comportamental   O desenvolvimento de habilidades de gestão, por mais que fundamentados em técnicas e processos metodológicos passa, segundo os pressupostos mais conhecidos, pelo
1º Fórum Nacional de Co... Aproveite esta grande oportunidade de ouvir vários pelestrantes renomados em um único dia. O programa é focado em temas do dia-a-dia da prestação de serviços profissionais, reunindo num
Para quem você trabalha? Uma das expressões mais utilizadas atualmente nos processos de gestão é “ENTREGA”. A palavra espelha a agregação de valor de um profissional, de uma área ou da
Avaliação por Resultado... A Avaliação de Resultados (A.R.) não substitui a Avaliação de Desempenho (A.D.), mas lhe serve de oportuna complementação, pois cobre maior dimensão de análise e permite uma
A relação (e as diferen... A atuação em Coaching não objetiva proceder a uma avaliação do desempenho do “cliente” no processo. O Coach (denominação dada ao profissional que executa o Coaching) pode

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *