Não se avalia impunemente

Não tenham dúvidas, toda avaliação exige um comprometimento.
E esse comprometimento pode se traduzir por uma consideração simples: cumplicidade.
Avaliar coloca o avaliador no cenário da ação. Não se consegue ser observador, apenas. Nos tornamos parte. E o observador modifica o observado.
Esta é uma das principais razões da dificuldade em dar feedback!
Quando vamos dar um feedback podemos nos considerar em uma posição vantajosa. Afinal estamos avaliando o outro. Mas porque não nos sentimos assim?
Porque, ao avaliar, nos comprometemos com um posicionamento. E isso significa participar, tomar partido, escolher.
Como se não bastasse quando o feedback dirige-se á algo que precisa ser modificado percebemos que, de alguma forma, também estamos sendo avaliados. Afinal a gestão é nossa.
Outro aspecto importante é que a reação de quem recebe o feedback é terrivelmente humana. Isto é, reagimos ao que não nos agrada de forma a não aceitar, imediatamente.
Sim, isso é absolutamente comum. Quando a informação que recebemos não nos é muito simpática temos a resistência aos fatos para nos proteger quanto á desilusão ou fraqueza. Sim, a resistência é absolutamente necessária ao ser humano como garantia de equilíbrio e sanidade. Para aceitar necessidades de mudança temos que recorrer á reflexão e, eventualmente, outras percepções.
Por isso é importante recebermos feedback. Precisamos de outras percepções.
Até porque sem feedback não há desenvolvimento. Não podemos nos restringir ás nossas percepções, apenas.
Sempre reforço: “Qual é a nossa expectativa após a prova? A nota, lógico, isto é, o feedback”!
Isso quer dizer que dependemos do feedback para o nosso desenvolvimento. Não há desenvolvimento sem feedback. Este é mais um ponto de destaque na gestão. Toda liderança tem a responsabilidade de desenvolvimento de seus subordinados.
O que acontece apenas em nossa mente não é realidade! Algumas pessoas tem a ilusão de que controlam algo quando guardam para si informações importantes.
Ora, informações só são importantes porque assim as consideram as outras pessoas.
É como entendemos as boas ideias. Boas ideias só existem porque as pessoas a reconhecem.
Uma boa ideia dentro da gaveta é……nada! Não existe.
Para a avaliação o raciocínio é semelhante. Se avaliamos e não damos o feedback então não fizemos nada também.
Por isso avaliar é fundamental e o feedback é a garantia de que a avaliação teve alguma razão.
Sempre afirmamos que o feedback não é uma opinião. Não é apenas dizer que está ou não está bom. É necessário dizer o porquê não está bom. Isso é reorientação.
Mas, não se esqueçam. Não basta olhar para trás e dizer o que foi. É determinante entender o que será. Não podemos mudar o passado. Podemos usa-lo como referencial, mas temos que caminhar para a solução.
Por isso o feedforward, isto é, o olhar para o futuro. Como transformar a situação atual para uma oportunidade de melhores resultados. Ora, é para isso que avaliamos, para melhorar.
E, finalmente, isso é gerenciar.
Gerenciar é avaliar, sistematicamente, dar feedback para reorientar o processo e olhar o futuro para aproveitar as potencialidades de todos, a começar das nossas potencialidades.

Similar Articles

De perto ninguém é norm... Texto referente ao 40o. Capítulo do novo Livro do Prof. Bernardo Leite: Será que minha Empresa é assim? Está na editora para lançamento em breve.
Criando Cultura de Feedba... A Cultura de Feedback pode ser considerada uma revolução nas relações internas e na dinãmica de desenvolvimento profissional nas Organizações
Relacionamento > Diferenc... Relacionamento > Diferencial para o amanhã (Estamos iniciando a Era do Reconhecimento) Presumo não haver dúvida sobre o fato de que o relacionamento sempre foi um fator
O novo enfoque da Avalia... O novo enfoque da Avaliação de Desempenho As grandes mudanças no ambiente empresarial e a necessidade de maior aproximação com os objetivos organizacionais alteram substancialmente, os procedimentos
Você está confortável?... Tudo bem, impossível negar que estar confortável é objetivo de todos, mas que é um grande risco não tenham dúvida! Um dos exemplos que utilizo para demonstrar
A Queda da Pirâmide O designer piramidal para identificar a empresa sempre foi muito didático, porque explicava com clareza a dimensão quantitativa dos diversos níveis organizacionais. Menor quantidade de pessoas no
PALESTRAS DE SUCESSO!!! O Prof. Bernardo Leite é reconhecido, no mercado, como um dos palestrantes que melhor reúne dinâmica e conteúdo em suas palestras. Especialista em Desenvolvimento Organizacional e Feedback.
Depoimento Palestra USP Adorei a palestra ” O relacionamento interpessoal move montanhas”. Além de toda formação profissional do Prof. Bernardo, pude  constatar ao conhecê-lo que ele acertou na escolha da
O Desconforto Este é um terreno movediço. Qualquer deslize pode ser fatal. Admito que pensei antes de iniciar este texto. Mas como que para justificar o tema: como não
Coaching Síntese: Uma das mais potentes ferramentas de desenvolvimento em gestão. Sua metodologia permite orientação e acompanhamento em um processo de educação continuada. Esta ação permitirá aos participantes

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *