Você é um negociador?

Esta é uma pergunta desnecessária. Por mais que não nos damos conta disso, todos somos negociadores.

Negociar é, antes de tudo, um ato de relacionamento e, como tal, está presente em todos os momentos da nossa vida.

O que pode mudar são os objetivos, mas o princípio e a forma são muito, muito semelhantes. Você pode negociar para definirem, em conjunto, uma melhor alternativa, como por exemplo, em uma equipe de projeto, ou pode negociar para conseguir um resultado na aprovação de uma proposta ou ainda pode negociar para administrar um conflito de interesses, que está ocasionando um litígio. Essas são algumas alternativas de objetivos para uma negociação, mas o meio, a forma para conduzir esse processo se fundamenta em quatro passos, sempre.

Esses passos são:

  1. 1.     Busca “neurótica” por Clareza, isto é:
    1. a.      O que está em discussão
    2. b.     Porque há mais de uma posição
    3. c.      Quais são as diferenças
    4. d.     O que cada um deseja
    5. e.      Quais são os limites e por que.

Obs. Este é o passo inicial para uma boa negociação. Sem compreender o contexto global corremos o risco de nos desgastar para perceber que não há diferenças significativas. Por outro lado essa identificação permite que os dois lados possam “checar” suas próprias posições e, dessa forma, refletir melhor sobre seus posicionamentos. Lembrem-se de que há forte envolvimento emocional nessa relação.

  1. 2.     Reforço da percepção da “realidade” da negociação. “Realidade” está entre aspas porque enfatiza a nossa preocupação em entender o que está pressionando as posições. A negociação é um “jogo de percepções” fazendo com que a “realidade” seja percebida de maneira distinta pelos vários lados da negociação. Cada um percebe de forma diferente. Ronald Laing (famoso psiquiatra especializado na questão da percepção afirmava: “Você não é o que pensa ou pretende ser, mas o que os demais percebem” reforçando que a nossa percepção pode “nos falhar”). Neste caso ganha enorme dimensão a questão da Comunicação em seus dois sentidos: Falar e ouvir. Aliás a comunicação é a grande e indispensável ferramenta. Lembre-se que a comunicação é ampla. Você vai comunicar pelas palavras, tom de voz, postura física e postura emocional. É um contexto global.
  2. 3.     FOCO, este é o terceiro passo na negociação. Não podemos perder o foco da negociação. Afinal o que viemos fazer aqui? É normal, durante uma negociação, que se privilegiem a discussão dos diversos e diferentes pontos de vista conduzindo o processo para uma “definição de razões”. Isso é completamente desnecessário. Uma negociação não tem por objetivo definir quem tem razão, mas sim qual a melhor alternativa para a situação atual. Não estamos na negociação para “ganhar” uma discussão, mas para conduzir esse processo para a melhor alternativa possível para a nossa causa.
  3. 4.     E finalmente o acordo, isto é, se Você “ganhou” a discussão então não houve uma negociação, houve uma imposição e pronto! Negociar é fazer com que os dois lados sintam-se ganhando ou, no mínimo, não perdendo. Está é a habilidade mais importante de todo o processo de negociação, até porque a solução vem a seguir e contar com o apoio político dos dois lados é sinônimo de sucesso.

Experimente!

 

Bernardo Leite

Similar Articles

PRÉ LANÇAMENTO DO NOVO ... SERÁ QUE A MINHA EMPRESA É ASSIM? Esse é um livro que trata do comportamento humano. Sem dúvida procura dar foco nos aspectos do Comportamento Organizacional, mas
Treinamento on-line ̵... Treinamento on-line em 3 módulos (dias 23, 26 e 30 de novembro / horário de 9h ás 11:40min)
Depoimentos do treinament... Depoimentos referente avaliação do treinamento de Avaliação de Desempenho e práticas de Feedback realizada pelo Idepro nas dependências da ABTD
De perto ninguém é norm... Texto referente ao 43o. Capítulo do novo Livro do Prof. Bernardo Leite: Será que minha Empresa é assim? Está na editora para lançamento em breve.
Criando Cultura de Feedba... A Cultura de Feedback pode ser considerada uma revolução nas relações internas e na dinãmica de desenvolvimento profissional nas Organizações
Relacionamento > Diferenc... Relacionamento > Diferencial para o amanhã (Estamos iniciando a Era do Reconhecimento) Presumo não haver dúvida sobre o fato de que o relacionamento sempre foi um fator
O novo enfoque da Avalia... O novo enfoque da Avaliação de Desempenho As grandes mudanças no ambiente empresarial e a necessidade de maior aproximação com os objetivos organizacionais alteram substancialmente, os procedimentos
Você está confortável?... Tudo bem, impossível negar que estar confortável é objetivo de todos, mas que é um grande risco não tenham dúvida! Um dos exemplos que utilizo para demonstrar
Espaço Conhecer http://www.ozaza.com.br/trabalhos/espaco_conhecer/
EMPREENDER EM VENDAS “EMPREENDER EM VENDAS: sonhar grande e ter a capacidade de realizar seu sonho” Desenvolver nossa competência empreendedora, assumir riscos, ter a mudança como desafio são atitudes chaves
Inovação Aplicada ̵... Alguns temas são diferenciais na gestão de negócios transformando-se em verdadeiros fatores chave de sucesso. Um desses temas é a Comunicação que, infelizmente costumamos dizer, é um
A inteligência das Rela... Muito se fala sobre a inteligência no relacionamento, mas ainda não me senti á vontade para interligar inteligencia e relações humanas. Afinal, inteligência: capacidade mental de…raciocinar, analisar,
Curso Implantação de Av... Aconteceu em 13/02/2014 mais uma turma do curso Confira alguns depoimentos. O treinamento foi totalmente proveitoso o instrutor Bernardo leite tem muita vivência no assunto e sua abordagem

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *