Desenvolvendo Potencial Empreendedor

DESENVOLVENDO POTENCIAL EMPREENDEDOR

 Desenvolver potencial empreendedor nos remete para o foco doempreendedorismo interno, porque é dentro da empresa que estão nossos melhores profissionais. Talvez seja difícil identificá-los, mas a flexibilidade, a autoconfiança e, em suma, muito da postura empreendedora está presente em nossos profissionais. Mas não basta essas características é preciso mais para alcançar resultados!

Por exemplo, a inovação, fator de extrema importância, não ocorre facilmente dentro das empresas. Não ocorre porque as idéias podem existir, mas a inovação não se restringe às idéias. É necessário que idéias transformem-se em fato através da implementação. A idéia ou a invenção é parte da inovação. A ação e a implementação são o complemento indispensável do sucesso!

Ou seja, nada substitui o fazer! Precisamos de pessoas que façam!

Prestem muita atenção a esta afirmação: “uma boa idéia não sobrevive sem alguém apaixonado por ela!” Identifique os apaixonados porque eles perseguirão os objetivos, com prazer e tenacidade!

Em suma, as empresas precisam desenvolver os perfis empreendedores, mas para isso não é suficiente ter interesse e boa vontade. Temos que promover um ambiente propício e, assimilar que o perfil empreendedor mantém algumas manias difíceis de serem administradas no ambiente organizacional. 

Estamos nos referindo ás características típicas de qualquer perfil empreendedor, como por exemplo:

         É conhecido o comportamento de “quebrador de regras” que o empreendedor manifesta. Na maioria dos casos esse comportamento é sinônimo de independência, persistência ou até, decorrência dos “dribles” que ele precisa dar nos entraves burocráticos das organizações para alcançar seus resultados. É uma característica muito especial que faz com que esses profissionais corram risco para conseguir seus objetivos. No entanto esta característica enfrenta muita rejeição, até por motivos lógicos.

         Outra questão recorrente refere-se à dificuldade do empreendedor (interno ou não) em depender de decisões hierárquicas. Esses profissionais requerem muita autonomia para ficar na dependência das liberações de suas chefias. Costuma-se até dizer que eles preferem pedir desculpas a pedir permissão, o pode ser explicado pelo fato de que até que suas visões se tornem reais, ninguém entende, perfeitamente, onde ele quer chegar. Sem dúvida uma das condições básicas para o desenvolvimento de perfis empreendedores é que recebam delegação para desenvolver o seu trabalho. O patrocinador do empreendedor (uma figura importante no processo de desenvolvimento de empreendedores) deve acompanhar á distancia o desenvolvimento das ações.

         Manutenção de uma visão de longo prazo é outra dificuldade. Isso decorre do fato de que a empresa pode mudar o foco de ação a qualquer momento fazendo com que o empreendedor perca a utilização livre de sua intuição. Eles nunca sabem se seus projetos não serão bloqueados por qualquer razão administrativa.

         Grande dificuldade, também, é a dificuldade de que os empreendedores internos reutilizem os ganhos de seus sucessos. É fato notório (em todas as pesquisas sobre o assunto) que os empreendedores, de maneira geral, encontram prioritariamente sua motivação na satisfação de uma necessidade pessoal de realização, mais do que com qualquer recompensa financeira. Eles têm noção de que o ganho financeiro é conseqüência do sucesso da idéia. Mas eles não conseguem reinvestir seus resultados em seus novos desafios. Isto pode levá-los a ser empreendedores de uma única idéia! E ainda, como trabalhar com os fracassos? Sabemos que não são todas as tentativas que serão bem sucedidas, mas não podemos nunca deixar de continuar tentando.

 Percebam então que não basta dar oportunidade para que seus profissionais desenvolvam o perfil empreendedor que sua empresa tanto necessita. É necessário criar-se um ambiente que permita esse desenvolvimento. O “workshop” que temos realizado sobre esse tema detalha os passos essenciais para o desenvolvimento dos potenciais empreendedores. Voltaremos ao assunto.

Similar Articles

Relacionamento > Diferenc... Presumo não haver dúvida sobre o fato de que o relacionamento sempre foi um fator estratégico e diferencial para os resultados. Mas, respeitando o título, afirmo que
O novo enfoque da Avalia... O novo enfoque da Avaliação de Desempenho As grandes mudanças no ambiente empresarial e a necessidade de maior aproximação com os objetivos organizacionais alteram substancialmente, os procedimentos
Sete regras do Feedback Há uma prática convencional no mercado empresarial de se dar feedback após a tabulação dos dados da Avaliação de Desempenho. Evidente que a eficácia do feedback não
Quadro das versões 2.0, ... Características da novas versões da Avaliação de Desempenho
Curso Comunicação e Fee... Em parceria com a CINRH – Bernardo Leite realiza em Aracaju no dia 09.06 workshop “Feedback e Comunicação – Ferramentas Essenciais da Liderança”.   Programação OBJETIVO: Possibilitar o
Empreendedorismo Corporat... Em mais uma parceria com a ABTD – Acontecerá em 25.08 o Seminário“Empreenderorismo Corporativo” com Bernardo Leite. Veja a programação. Mais informações – clique aqui Empreendedorismo Corporativo” Data: 25
Relacionamento e Competê... Não há resultados duradouros sem uma adequada administração do Relacionamento Interpessoal na equipe. Ele interfere no ambiente de trabalho, no nível de colaboração e sinergia entre as

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *