Feedback é mais do que……

Retorno ao tema “Feedback” por causa da importância estratégica desta ferramenta de gestão e porque um artigo sempre será insuficiente para apresentar toda a gama de influência e importância que envolve esta ação.

Portanto, “Feedback é mais do que” a reunião semestral (nos melhores casos) que se realiza com os subordinados para apresentar e discutir seu nível de desempenho e as alternativas de desenvolvimento necessários.

Em pesquisa com os participante de nossos cursos sobre feedback a resposta: “quando o funcionário não aceita a avaliação” foi escolhida por 75% dos gestores como a maior dificuldade no processo de feedback.

Será que é porque damos o feedback só uma vez por ano, por ocasião da Avaliação de Desempenho?

Sem dúvida que, até para dar o devido acompanhamento aos processos de avaliação de desempenho que as melhores empresas instituem, a reunião com o subordinado é determinante e imprescindível. Este é um momento único porque formaliza a determinação do processo de reorientação e definição de um plano de ação de desenvolvimento. Ação fundamental.

No entanto o processo de Feed Back não se restringe á esta situação.

É no dia a dia do trabalho que o processo de Feed Back mais acrescenta ao desenvolvimento e á motivação dos subordinados. A orientação ou reorientação das ações realizadas, o reconhecimento da boa execução de uma tarefa e a correção dos eventuais desvios são atributos indelegáveis de qualquer nível de liderança. Reforça o comportamento adequado, motiva o contínuo desenvolvimento, norteia a equipe para os melhores resultados e diferencia a performance média da performance desejada, ou seja, a alta performance.

Não se pode esperar que as pessoas realizem suas tarefas com alta qualidade desde a primeira tentativa. Poucos conseguem. É no desenvolvimento da ação e na realização do processo que se alcança a superação das expectativas. Não há treinamento que supere a eficácia dessa ação de monitoramento e treinamento.

É interessante notar o privilégio dos cargos da área comercial que podem acompanhar sua performance com monitoramento sistemático. Ao final do mês cada vendedor sabe perfeitamente se obteve resultados adequados ou não. Ninguém precisa lhe dizer que foi bem ou não foi bem. Ele sabe. Outros cargos não gozam desse privilégio. Imagine medir o desempenho de vendas ao final de cada ano. Seria catastrófico!

Mesmo os níveis diretivos das organizações precisam fazer o mesmo com as ações estabelecidas pelo Planejamento Estratégico do Negócio. Acompanhar, medir e reorientar é fundamental para garantir o sucesso. Além disso, reforçar a boa performance mantém o comportamento adequado e impulsiona o desenvolvimento de novos patamares de desempenho. Você não vai assistir ao jogo de futebol do seu time preferido para torcer e se manifestar apenas quando o gol é marcado. Você torce e vibra ou vaia e xinga dependendo da performance que seu time está mantendo. E torcida faz diferença, não faz?

Percebam que esse movimento condiciona o comportamento. É fator psicológico e, portanto, de construção de atitudes, posturas e níveis desejados de performance e resultados.

Toda a liderança é responsável por esta ação.

Alguns cuidados, no entanto, são necessários. Elogios e reconhecimento devem ser dados em público. Se você se sentir constrangido em fazer isso pelo menos dê um jeito dos outros saberem que está fazendo. O objetivo não é só motivar quem teve um bom desempenho, mas fazer com que os outros o imitem.

Porém quando é necessário um realinhamento, ou correção do caminho que o subordinado está seguindo faça esta observação pessoalmente e sem a participação dos outros. Você não vai ganhar nada em expor o seu subordinado a um constrangimento. Será muito mais fácil ele reconhecer o erro e retomar o caminho certo e respeito não custa nada. Se formos expor nossos subordinados á “bronca pública” o mínimo de mal que podemos causar é de criar um ambiente de medo e de pouca ou nenhuma iniciativa da equipe. Errar é um evento possível nas pessoas que tentam. Os que não tentam erram menos.

Em suma, Você quer ser um líder melhor? Quer desenvolver seus subordinados e equipe? Quer alcançar melhores resultados?

Então invista no desenvolvimento da sua habilidade em realizar o Feed Back. Faça disso uma rotina de trabalho. Melhore a comunicação.

Lembre-se do que dissemos antes, neste texto. Você pode não ser o melhor na primeira vez que fizer, mas se continuar fazendo vai desenvolver-se tanto que poderá se tornar um especialista no assunto.

E se Você acha que é o seu chefe que precisa saber disso dê um Feed Back para ele. Pode ser que ele prefira ouvir elogios, ou apenas boas notícias, então Você precisa conhecê-lo melhor. Que assunto lhe interessa? Comece por ai. Depois, gradativamente, vá solicitando seu Feedback e, no desenvolvimento desse processo Você encontrará seu espaço para lhe dar um Feedback, nem que seja uma simples opinião pessoal.

Se Você estiver preparado e souber conduzir esse processo ganhará mais respeito dentro do seu trabalho. Tente!

Bernardo Leite
Consultor especializado na técnica do Feed Back / autor do livro “Dicas de Feedback”

Similar Articles

PESQUISA: TENDÊNCIAS DE ... PARTICIPE DA PESQUISA E RECEBA OS RESULTADOS DIRETAMENTE
1- Treinamento: Comunica... Dia 02 de abril: Treinamento: Feedback e Comunicação Dia 03 de abril: Workshop Avaliação de Desempenho
Depoimentos do treinament... Depoimentos referente avaliação do treinamento de Avaliação de Desempenho e práticas de Feedback realizada pelo Idepro nas dependências da ABTD
De perto ninguém é norm... Texto referente ao 40o. Capítulo do novo Livro do Prof. Bernardo Leite: Será que minha Empresa é assim? Está na editora para lançamento em breve.
Criando Cultura de Feedba... A Cultura de Feedback pode ser considerada uma revolução nas relações internas e na dinãmica de desenvolvimento profissional nas Organizações
Relacionamento > Diferenc... Relacionamento > Diferencial para o amanhã (Estamos iniciando a Era do Reconhecimento) Presumo não haver dúvida sobre o fato de que o relacionamento sempre foi um fator
O novo enfoque da Avalia... O novo enfoque da Avaliação de Desempenho As grandes mudanças no ambiente empresarial e a necessidade de maior aproximação com os objetivos organizacionais alteram substancialmente, os procedimentos
Você está confortável?... Tudo bem, impossível negar que estar confortável é objetivo de todos, mas que é um grande risco não tenham dúvida! Um dos exemplos que utilizo para demonstrar
Razões do Feedback Em épocas de alta competitividade quando desenvolvimento e retenção de talentos são condições até de sobrevivência, algumas ações organizacionais tornam-se cruciais para “ganhar esse jogo”! Costumo afirmar
Globalização Interna da...  (O autor deste texto, André Ambrósio Abranczuc,  consultor empresarial, foi funcionário, como executivo responsável pela área de Qualidade Total, da primeira implantação do Programa da Rede Clientes e Fornecedores
Workaholic X Worklover A diferença entre estes dois “conceitos” ou “estado de espírito” se deve, em alguma medida, ao clima do local de trabalho
A Importância da Cultura... A verdadeira dimensão da importância da Cultura Organizacional talvez só possa ser perfeitamente compreendida pelas pessoas que a experimentam. A cultura organizacional determina o estilo de gestão
Nenhum vendedor é uma il... Você pensa que o vendedor é um profissional solitário? Que está sozinho na rua á mercê de clientes desinteressados e que só se queixam da Crise?  

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *